Homenagem à sua memória, último livro publicado por Angelo Machado será lançado neste sábado, dia 14 de maio

Homenagem à sua memória, último livro publicado por   Angelo Machado será lançado neste sábado, dia 14 de maio

AML – Foto Guto Cortes.

Imortal da Academia Mineira de Letras, Angelo deixou um  grande legado para a Literatura Mineira

 

“O Tratado da Guerra” (editora UFMG) – última obra publicada pelo escritor, dramaturgo, professor, cientista e imortal da Academia Mineira de Letras, Angelo Machado (1934-2020) – será lançado neste sábado, dia 14 de maio, das 11h às 14h, na Livraria Da Rua. Escrito ao longo de seus últimos 30 anos, é sobretudo como o pacifista e ecologista que sempre foi que Angelo Machado se dirige a nós nesta mensagem póstuma.

Quem se depara com este livro pode pensar que se trata de um conto leve e bem-humorado, bem ao estilo de Angelo Machado, lembrado pelo grande público por obras como Manual de sobrevivência em recepções e coquetéis com bufê escasso ou Borboletas eróticas: crônicas. Pode pensar também que se trata de um livro destinado a um público mais jovem, como as crianças, por exemplo, a quem Angelo dedicou, com tanto carinho, textos tão belos quanto fortes em suas mensagens. Na verdade, o livro é tudo isso, mas sua importância reside no que está além disso. Trata-se de um libelo pacifista ainda tão importante para os tempos que vivemos e necessário para sempre nos lembrarmos das palavras de Bertolt Brecht na voz de seu Galileu: “Infeliz a nação que precisa de heróis”.

O professor brinca com os textos clássicos, revelando não só uma erudição criativa, mas uma capacidade de conceber uma história alternativa que parece tão plausível quanto a chamada história oficial – e por que não seria? Com comentários e notas de rodapé, ao estilo de textos acadêmicos e científicos, nos convence dessa plausibilidade com tanta elegância e rigor que passamos a duvidar das certezas que nos acompanham ao longo da vida: nós, por exemplo, estamos convencidos de outras realidades possíveis que nos são trazidas pela ficção.

 

O tratado de guerra se compõe de duas partes: “A Papandreuda” e “As guerras neustônicas modernas”. Apesar de separados por 3.300 anos, os fatos narrados nas “Guerras neustônicas modernas” são consequências daqueles narrados na Papandreuda e não podem ser entendidos sem a leitura desta.

A Papandreuda é uma ficção inspirada nos poemas homéricos, Ilíada e Odisseia. O tema central é a Guerra de Troia e seus desdobramentos. Mas a Papandreuda difere destes poemas, não só pela narrativa, mas principalmente pela presença de um protagonista novo, o herói Papandreu, que perpassa as duas partes de O tratado de guerra e faz a integração entre elas. Sua biografia é narrada desde o nascimento até a morte.

O humor refinado e característico de Angelo Machado está presente na publicação, que pode ser lida como um instrumento pacifista para adultos. Tanto a dedicatória, como a epígrafe, dão esse tom à obra. Na primeira ele escreve: “Para Mahatma Gandhi e Nelson Mandela, que venceram a luta sem fazerem guerra”, já a segunda traz o poema “Guerras”, de Affonso Romano de Sant’Anna, que na primeira linha diz: “Todas as guerras são estúpidas”.

A capa traz desenho de Lor, ilustrador e parceiro do escritor em tantas obras.

Na ocasião, serão lançados outros dois títulos: “Milagres de ressurreição nas Cantigas de Santa Maria, de Afonso X, o Sábio”, de Ângela Vaz Leão, e “História, epidemias e capitalismo”, de João Antônio de Paula.

Sobre Angelo Machado

Angelo Machado foi doutor em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), professor emérito de Neuroanatomia e de Entomologia pela mesma universidade. Como entomologista descreveu 48 novas espécies e quatro gêneros de libélula. O estudo de insetos, deu abertura para a produção de livros infantis, onde uniu arte e ciência. Com uma vasta produção literária, publicou títulos didáticos na área de saúde e biologia, bem como obras de literatura para adultos e para o público infantojuvenil. Membro das Academias Brasileira de Ciências, Mineira de Medicina e Mineira de Letras, foi agraciado com os Prêmios Jabuti (1993), José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica pelo CNPq (1995) e Bom Exemplo, na Categoria Ciência (2015). Angelo Machado é o autor da obra “Manual de sobrevivência em festas e recepções com bufê escasso”, que se tornou um monólogo estrelado pelo ator Carlos Nunes, e levou milhares de pessoas ao teatro em Minas Gerais.

 

SERVIÇO:

Lançamento do livro “O Tratado da Guerra”, de Angelo Machado

Data: 14 de maio, às 18h

Horário: 11h às 14h

Local: Livraria da Rua (rua Antônio de Albuquerque, 913, Funcionários)

Redacao

Apaixonado pela área acadêmica, Felipe de Jesus | Editor e Administrativo é Jornalista (Faculdade Estácio de Sá - BH/MG), Publicitário (Instituto Politécnico-SP), Teólogo (Faculdade ESABI), Sociólogo (Faculdade Polis das Artes), Economista (Universidade São Paulo) & Advogado (FACSAL/Universidade Brasil-S.A). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC) e atualmente cursa Engenharia de Telecom. e Bacharelado em Ciências Musicais (Música/Livre) - [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *