Empresário consegue descansar?

Empresário consegue descansar?

Se desconectar do trabalho é importante para a saúde e gera mais produtividade!

O termo workaholic, mesmo que estrangeiro, é familiar aqui no Brasil. Uma pessoa que trabalha compulsivamente porque gosta muito do seu trabalho ou simplesmente sente com constância a obrigação de fazê-lo, pode ser considerada como tal. Principalmente para aqueles que possuem dificuldade em aproveitar este período festivo com a família e curtir as férias, sem culpa.

Trabalhar muito pode não ser sempre ruim, isso significa que você é comprometido com o que faz e sempre almeja por resultados. Mas o problema aparece quando o trabalhador não precisa estar fazendo aquilo, e mesmo assim, não deixa de lado essa atividade. “É muito comum pessoas que estão em cargos de lideranças em empresas serem as mais afetadas pelo trabalho excessivo, e mesmo assim, isso não é saudável”, garante a empresária Valéria Bax, master coach e sócia do Instituto Evex, em Belo Horizonte.

Ela acrescenta que, em muitos casos, essas pessoas costumam não ter outras em quem confiar para delegar as tarefas em sua ausência, como quando estão em férias ou viagens. Por isso, acabam abraçando todo o barco de uma vez. “Essa atitude precisa mudar, pois pode gerar até queda em seu desempenho, exaustão extrema e graves quadros de ansiedade”.

Segundo a especialista, a falta de confiança em outras pessoas pode ser um dos fatores que deixam alguns trabalhadores malucos quando sabem que só eles podem resolver tudo, mesmo que de longe, principalmente nestes períodos festivos ou de férias. Nesse caso, a mudança deve começar dentro da empresa ou negócio.

“Invista em alguém que você saiba que tenha responsabilidade para responder por você. Pode ser que essa pessoa ainda não tenha a sua experiência ou conhecimento, mas treiná-la para aprimorar essa questão e fazer ela se sentir confortável e apta para este cargo de suplente que ocupa é uma boa maneira de se desligar um pouco, e deixar as coisas em outras mãos, mesmo que por pouco tempo”, completa Valéria.

Cuidado com o celular!

Ainda de acordo com a master coach, assistir ou buscar por coisas que não possuem relação com o que você faz também ajuda a aliviar por um momento a pressão ou mesmo a tensão de não estar trabalhando. “Boas opções são séries e filmes que prendam a atenção ou que façam dar gargalhadas, por exemplo”.

E cuidado com o celular! Ele é um dos principais aliados dos workaholics, sobretudo com os aplicativos de mensagens instantâneas bombando a todo tempo. Para alguns, pode ser impossível, mas sair sem o telefone pode ajudar bastante.

“Experimente ir para um jantar ou às compras sem o telefone, por exemplo. No início pode ser difícil, mas não custa tentar se acostumar. Se não consegue ficar sem, tente deixar pelo menos a sua rede de internet desligada, e se segure para acabar não solicitando a senha do Wi-Fi do local. O celular nesse momento pode ser usado para outras coisas, como tirar uma foto para postar quando chegar em casa ou fazer uma ligação importante, que não seja a trabalho, claro”, sugere Bax.

Fonte: Valéria Bax, empresária do varejo há mais de 30 anos e Master Coach na Área de Negócios. Conselheira de Empresas e formada em Comunicação, Especialista em Gestão de Negócios, Marketing e Comercial (@valeria.bax e @institutoevex).

Felipe de Jesus

Felipe de Jesus | Editor e Administrativo: - Jornalista (Faculdade Estácio de Sá - BH/MG), Publicitário (Instituto Politécnico-SP), Teólogo (Faculdade ESABI), Sociólogo (Faculdade Polis das Artes), Economista (USIP) & Advogado (FACSAL/Universidade Brasil-S.A). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC). Atualmente cursa Engenharia de Telecom. e Bacharelado em Ciências Musicais (Música) - [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *