Membros do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) procuraram a reportagem do PLOX para denunciar que o diretório municipal em Coronel Fabriciano-MG foi dissolvido. O grupo afirma que as assinaturas deles e de outros foram falsificadas e que já acionaram a Justiça para que a decisão seja revogada. Liderados pelo empresário José Gregório de Paiva, que até então era pré-candidato a prefeito pelo partido, o grupo denuncia o que eles chamam de fraude na elaboração do documento de destituição do diretório.

Carlão, Gregório e Paulo Antunes

O empresário Gregório Paiva já havia sido confirmado por Sebastião Quintão, que faz parte do partido em Ipatinga-MG, como pré-candidato a prefeito de Fabriciano para disputar as Eleições 2016. Gregório agora declara que sua candidatura está ameaçada. “Confiantes na Justiça, nós vamos retomar a nossa condição de pré-candidato”, disse.

Acusação de fraude
Segundo o pré-candidato a vereador Carlão Campos, ele foi procurado em sua casa no dia 26 de junho pelo secretário municipal do partido Marcos Mauricio Ribeiro dos Santos. De acordo com Carlão, ele assinou uma folha em branco, onde, o secretário teria dito que seria para a participação de um churrasco. “Eu assinei esse convite, minha esposa assinou, meu filho assinou, minha irmã assinou e depois eu fui surpreendido com a ligação eu fiz para [o diretório] estadual em Belo Horizonte pedindo uma relação do diretório do PMDB. Me responderam que o diretório estava sendo dissolvido por essas assinaturas. Essas que foram todas fraudadas pelo secretário do partido, pelo tesoureiro e também pelo presidente Vitório [Vitório Gonçalves Júnior]”, afirma.

Segundo Carlão, o secretário apresentou esse convite como justificativa para a assinatura

No boletim de ocorrência registrado pelo grupo, eles alegam que o secretário e o presidente do partido “fizeram outros documentos e levaram até o diretório estadual em Belo Horizonte”. Ainda de acordo com o grupo, essa dissolução é fraudulenta.

Boletim de ocorrência

Carlão acredita que essa dissolução será revogada, depois que os membros entraram com uma ação liminar. “A Justiça vai ser feita com rigor e todos que fizeram as coisas erradas, A Justiça vai dar o parecer favorável para nós”, declara.

Traição
O ex-prefeito de Fabriciano Paulo Antunes também declarou apoio ao grupo. Ele classificou a ação do secretário e do presidente do PMDB como traição. “É muito difícil lutar contra os nossos adversários e ter que lutar também contra companheiros traidores dentro do PMDB. Vamos lutar para que essa candidatura dele [Gregório] prospere”, declara.

Secretário municipal
Nossa reportagem entrou em contato com o secretário municipal do PMDB em Coronel Fabriciano Marcos Mauricio Ribeiro dos Santos. Por telefone, ele nos informou que o motivo da dissolução do diretório na cidade é que vários membros de uma mesma família estavam coligados. “Pelo que eu fui informado em Belo Horizonte, ele foi dissolvido porque tinham dois membros do PMDB que tinham vários parentes no diretório e isso inviabilizava o diretório, de acordo com o estatuto”, disse.

Sobre a questão a acusação de falsificação de documentos, Marcos Maurício afirmou que “não existe falsificação de documentos”.

Perseguição
Ainda segundo o secretário do PMDB, ele começou a sofrer perseguição do pré-candidato Gregório Paiva. “Ele dispensou a minha filha [que segundo Marcos trabalhava na Gregório Retíficas, que pertence a Gregório] por perseguição. Ele quer dominar o partido e não é assim que funciona.

PMDB estadual
Nossa reportagem também entrou em contato com o diretório estadual do PMDB em Belo Horizonte para confirmar a dissolução do partido e também como fica a candidatura de Gregório, mas ainda não obtivemos respostas.

CONFIRA AS ENTREVISTAS COMPLETAS:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *