Especialista esclarece principais dúvidas sobre o assunto

Nas últimas semanas, uma das principais preocupações tem sido com as pessoas que fazem parte do grupo de risco da Covid-19. Muita gente possui dúvidas a respeito desse tema, já que diversos problemas podem causar complicações dos sintomas do novo coronavírus.

Na Inglaterra foi observado que sete entre cada dez pacientes com sintomas graves da Covid-19 são obesos. Um estudo ainda em andamento no país europeu busca a comprovação científica da relação entre a obesidade e a Covid-19. Por enquanto, o que se sabe é que, devido ao desenvolvimento de outras doenças associadas a obesidade, os pacientes obesos são considerados grupo de risco para o novo coronavírus.

Porém, como ficam aquelas pessoas que já foram obesas e hoje possuem o peso saudável devido a procedimentos como cirurgia bariátrica e a inserção do balão intragástrico, por exemplo?

O especialista em gastroenterologia e tratamentos para obesidade, Bruno Sander, explica que só faz parte do grupo de risco aqueles que possuem alguma doença relacionada à piora dos sintomas. “Nesse caso, não há relação entre o procedimento em si e o fator de risco. É importante observar quais doenças o paciente possui. Por exemplo, doenças cardiovasculares fazem parte do grupo de risco. Então, para aqueles pacientes que desenvolveram este tipo de transtorno por causa da obesidade e ainda fazem tratamento, o cuidado deve ser redobrado”.

Balão intragástrico

Uma das especialidades de Bruno Sander é o tratamento contra a obesidade com a inserção do balão intragástrico. O médico relata que muitos pacientes têm tido dúvidas a respeito do procedimento relacionado ao coronavírus. Dessa forma, o especialista resolveu responder as principais perguntas feitas pelos pacientes. Confira:

O paciente que usa o balão intragástrico apresenta maior risco diante da Covid-19? Não. As chances de se contaminar são iguais ao restante da população. Portanto, os cuidados devem ser constantes de acordo com o recomendado pelos especialistas: higienização constante das mãos, uso do álcool em gel, usar máscara caso precise sair e evitar aglomerações.

Como fica a imunidade de quem usa o balão intragástrico? Com relação a imunidade, os cuidados também são os mesmos da população em geral. Desde que o paciente siga as recomendações nutricionais com uma alimentação equilibrada, ele terá a imunidade reforçada e menores chance de desenvolver sintomas graves caso seja acometido pelo vírus.

Em quais casos o paciente usuário do balão intragástrico deve procurar atendimento de emergência? O recomendado é que o paciente procure uma unidade de saúde caso apresente sintomas graves da Covid-19 ou, no caso específico do balão, em caso de rompimento. Mas, lembre-se: não é necessário entrar em pânico caso isso ocorra. O próprio balão possui uma substância que é liberada na urina com coloração azul ou esverdeada. Assim, o paciente consegue perceber que o produto se rompeu, mas isso não irá colocar sua vida em risco.

Fonte: Bruno Queiroz Sander, médico cirurgião endoscopista, especialista em gastroenterologia e diretor do Hospital Dia Sander Medical Center, em Belo Horizonte (RQE: 14270/32354/41292).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui