Os acessórios e adereços da moda cultural afro baiana como saias, colares e turbantes viraram sensação entre os mineiros após o sucesso do bloco Baianas Ozadas no carnaval de BH, que leva muita personalidade às ruas com seus vestuários autênticos

Quem deseja pular o carnaval de Belo Horizonte de visual novo, na moda, e ainda fazer bonito nas ruas este ano, o turbante é uma excelente dica para aproveitar a folia de forma bem baiana e ainda trazer a energia da cultura de um dos carnavais mais famosos do país para a capital mineira. Usado por diversas culturas e de diferentes formas entre homens e mulheres, o acessório de moda afro baiana virou sensação e vem compondo os looks de muitos foliões desde o crescimento do carnaval mineiro, impulsionado pelo bloco Baianas Ozadas nos últimos anos.

Tradicionalmente conhecido por trazer a Minas Gerais a identidade cultural da Bahia em seus eventos carnavalescos, o Baianas Ozadas é um dos blocos pioneiros na folia belorizontina, que desde 2012 se apresenta ao público levando a legitimidade e irreverência baiana estampada em seus vestuários autênticos que vão de saias, à turbantes e balangandãs. Mas, sem dúvidas, os itens que não podem faltar no figurino oficial são a saia e o turbante. Os acessórios viraram a marca registrada do bloco e, de uns anos pra cá, vem conquistando também seu espaço com o público, tornando-se a última moda do carnaval ozado.

De cabelo preso ou solto, de coque ou de trança, ele combina com tudo e com todos! Além de estar em alta e ter o poder de deixar qualquer look lindo, o acessório representa a versatilidade da folia por não exigir regras de uso. Afinal, uma das vantagens desta peça além de proteger a cabeça do sol, é poder ser usada e abusada, com criatividade, por homens e mulheres, através de diferentes maneiras e variadas estampas, esbanjando personalidade, charme e elegância. E por falar em liberdade, quem disse que homens não podem usar saias? Na composição do traje característico do Baianas Ozadas não existe certo ou errado nesse quesito, e as saias rodadas usadas pelos comandantes do bloco, derrubam tabus, questionam padrões e já viraram tradição na folia mineira.

No fim das contas, quebrar as regras é uma brincadeira que a moda adora fazer, aliás, isso se torna necessário para que ela se reinvente e sempre proponha novas possibilidades. Então, nada melhor que o carnaval para fazer essa provocação com a leveza da diversão. Pensando assim, o Baianas Ozadas prima pelo resgate da tradição popular de festejar o carnaval de rua sem restrições, e usa as características da “baianaidade” do bloco para incentivar os barbudos a usarem saia. Como aconteceu com o jornalista e designer bicicleteiro, Gil Sotero, que resgatou o uso da saia incentivado pelo bloco, e não parou por aí. O Designer também aderiu a tradição como movimento incentivador para pensar e quebrar preconceitos, realizando eventos como o “Saiço” e “Saia para tomar uma”, que encorajam homem a passarem pela experiência de usar saias para fazer alguma atividade cotidiana, como ir a um bar com os amigos.

“Quando o Baianas surgiu no carnaval de BH resgatando essa tradição da cultura baiana, que é habitual dos homens usarem saias nas festividades, eu tive a vontade de também retornar com o uso da peça para meu guarda-roupa pessoal. E não só no carnaval, mas no meu dia-a-dia, pois a ideia não é ter por hábito a peça como um objeto de feminização do homem, mas sim como um traje do vestuário masculino. Por isso, acho de suma importância essa ideia do Baianas, já que a moda, mesmo que carnavalesca, não é feita só para nos vestir, ela também nos traz experiencias, e isso é o que fica”, explicou Gil Sotero.

Como descreveu Dorival Caymmi na letra de sua canção “O Que É que a Baiana Tem?”, o figurino do bloco representa com exatidão os detalhes característicos da típica baiana. Na música, o torço de seda e saia engomada são peças essenciais que estilizam a cultura da Bahia, e claro, não podem faltar nos carnavais do Baianas Ozadas. Além disso, o bloco possui camisetas personalizadas, acessórios e adereços como brincos e colares, para deixar o visual dos carnavalescos ainda mais irreverente.

Uma fantasia super versátil, que de fato é fácil de ser encontrada e até mesmo improvisada usando itens que já se tem no guarda-roupa. Afinal, brincar com a criatividade faz toda a diferença no clima da curtição, e o importante é se sentir confortável e confiante com a produção para aproveitar cada momento de festa. Pensando nisso, os foliões que não conseguirem esperar até março para experimentar suas fantasias, no próximo sábado, dia 09 de fevereiro, a partir das 09h, o Baianas Ozadas estará reunido n’A Fábrica (Av. Tereza Cristina, 295 – Prado, Belo Horizonte – MG) para mais um ensaio da bateria, ala de dança e ala infantil do bloco. As roupas, prometem ser um show à parte também no ensaio da folia. Por isso, os interessados em comparecer à programação, podem adquirir os ingressos na portaria da festa pelo valor de R$10.


SERVIÇO

Ensaio do Bloco Baianas Ozadas

Atrações: Bateria Ozada, alas de dança e infantil “Baianinhas”

Data: Sábado, 09 de fevereiro

Horário: De 9h às 14h

Local: A Fábrica (Av. Tereza Cristina, 295 – Prado, Belo Horizonte – MG)

Programação:

9h: Ensaio ala de DANÇA com o prof. Cristiano Ribeiro

9h: Ensaio ala infantil OS BAIANINHAS com Geovanne Sassá

10h30: Ensaio da BATERIA OZADA com participação de cantores e ala de dança

14h: Encerramento

Ingressos: R$10,00

Classificação: Livre

Leave a Reply

Your email address will not be published.

comentários